Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano,
ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada,
os cumes, as montanhas,
o longo caminho sinuoso através das florestas,
através dos povoados,
e vê à sua frente um oceano tão vasto,
que entrar nele nada mais é do que
desaparecer para sempre.

Mas não há outra maneira.
O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar.
Voltar é impossível na existência.
Você pode apenas ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano
é que o medo desaparece.
Porque apenas então o rio saberá
que não se trata de desaparecer no oceano,
mas... tornar-se oceano.
Se por um lado é desaparecimento,
por outro lado é renascimento.

(Autor desconhecido)

ENVIADO POR
ÊNIO R. BEDINELLI