Pai, olhe meus filhos!
Porque eles são pequenos
somente uma vez!

Concede-me a sabedoria de os guiar
pelo caminho que os seus pés devem seguir.
Porque eu sei que eles nunca podem retroceder
e atravessar comigo esses caminhos.
Dê-me a sabedoria de guiar os seus pés
de tal forma que um dia
eles possam caminhar por si mesmos.

Porque eles são pequenos
somente uma vez!

Dê-me o tempo que eu precisar
para desfrutar deles.
Porque eu sei que,
depois que eles tiverem crescido,
nunca terei outra chance
de contar-lhes histórias
e inventar festinhas.
Nunca terei outra chance
de vê-los num jogo na escola
ou na apresentação de balé,
ou pescando seu primeiro peixe,
ou dando a primeira pedalada...
Dê-me tempo, Senhor,
dentro do horário apertado da vida,
para me divertir com as minhas crianças.

Porque elas são pequenas
somente uma vez!

Deixe-me ser um pai amoroso.
Que eu saiba corrigir e não castigar,
explicar e não somente repreender.
Que eu saiba quando corrigir,
com que freqüência,
e qual a melhor maneira.
Ajude-me a ser paciente com meus filhos
e a torná-los pessoas maravilhosas.

Porque eles são pequenos
somente uma vez!

Deixe-me ser um bom professor
e um exemplo ainda melhor.
Dê-me as palavras e as ações certas
para os ensinar.
Concede-me a chave
para destrancar suas mentes
e os deixar verdadeiramente livres.

Porque eles são pequenos
somente uma vez!

Eles são inocentes,
confiantes e flexíveis
por um pequeno espaço de tempo,
um minuto numa eternidade.

Deixe-me fazer por eles
tudo o bem que eu puder,
enquanto eu tenho essa chance!

(Autor desconhecido)