Senhor,

eu sou um gato.

 

Não precisamente

que eu tenha

alguma coisa a vos pedir.

 

Não.

Não peço nada a ninguém.

 

Mas, se por acaso, Senhor,

tivésseis

nos celeiros de vosso paraíso,

um ratinho branco

ou um pires de leite,

sei de alguém

que aprecia essas coisas...

 

Amaldiçoareis, um dia,

a raça canina?

 

Ah, nesse caso,

eu diria:

Amém!

 

CARMEN BERNOS DE GASZTOLD