SER ÍNDIO(A)

Se eu fosse índia,
hoje de manhã,
no corre-corre para chegar ao colégio,
eu teria percebido o sol,
mais um dia que amanhece.

Se eu fosse índia,
nesse momento falando para vocês,
eu sentiria meus pés no chão.
Eu saberia que debaixo desse concreto
existe a terra que me sustenta.

Se eu fosse um pouco mais a índia que existe em mim
eu seria mais livre de tantas pressões sociais,
de tantas expectativas que pesam nos meus ombros.

Se eu fosse um pouco mais a índia que existe em mim
eu não teria tanto medo de me aproximar de vocês,
eu olharia mais nos olhos,
eu faria amizade mais fácil
e me sentiria parte da grande tribo humana.

Existe sim uma índia em mim, porque eu sou brasileira.
Porque minha história não começa no dia em que eu nasci,
minha história começa com a história do Brasil.

Em meu rosto, em meus cabelos
e nas coisas que gosto de fazer
existe um pouco de negro,
um pouco de branco
e um pouco de índio.

No entanto, muitas vezes eu prefiro esquecer
e pensar que sou civilizada demais,
moderna demais,
distante demais das minhas raízes.

Existe, sim, uma índia, um índio
em cada um de vocês porque vocês também são brasileiros.
Precisamos apenas olhar o mundo com olhos sagrados
e valorizar mais a vida...

(Profa. Nádia Mota - Salvador - BA)