A gente pode

morar numa casa mais ou menos,

numa rua mais ou menos,

numa cidade mais ou menos,

e até ter um governo mais ou menos.

 

A gente pode

dormir numa cama mais ou menos,

comer um feijão mais ou menos,

ter um transporte mais ou menos,

e até ser obrigado a acreditar mais ou menos

no futuro.

 

A gente pode

olhar em volta e sentir que tudo está

mais ou menos.

 

Tudo bem.

 

O que a gente não pode

mesmo, nunca, de jeito nenhum,

é amar mais ou menos,

é sonhar mais ou menos,

é ser amigo mais ou menos,

é namorar mais ou menos,

é ter fé mais ou menos,

e acreditar mais ou menos.

 

Senão a gente corre o risco de se tornar

uma pessoa mais ou menos.

 

(Autor desconhecido)