Prezado jovem,
quero que você me ouça
antes de me usar.
Quero que você me conheça,
que saiba quem eu sou,
o que faço,
como me comporto dentro das pessoas,
como você irá se sentir depois do meu contato,
da minha ilusão.

Eu não tenho nome, nem sobrenome.
Sou batizada a toda hora e a todo instante
por aqueles que me usam.

Não tenho amigos, pois consigo destruir
todos aqueles que se aproximam de mim.
Quando não o faço completamente,
eu os deixo sem miolo,
sem coração e sem pensamento.

Os que me tomam como companheira,
são aqueles de coração amargurado,
abandonados por todos,
são aqueles que se sentem sós
e que procuram em mim
uma fuga para os seus problemas,
fuga ilusória e dolorosa.

Um dos meus contatos preferidos são as veias.
Através delas eu consigo
mergulhar em seu sangue,
e isto me levará a uma viagem por todo corpo.
Atravesso seus membros, canais e artérias,
passo pelo seu sistema nervoso,
deixando aí minha marca.

Enquanto eu passeio, você vive as ilusões.
Através desse rio de sangue,
eu consigo atingir o seu cérebro
e aí a minha marca é mais forte
e no cérebro vou roubar o pensamento,
a memória e a razão.

Por fim descerei ao coração
e você verá quem eu sou realmente.
Aliás, nem haverá tempo para isto
pois já estará morto.

Pronto, já lhe contei a minha história,
se quiser a minha ajuda procure-me,
estou pronta para tirar a sua paz,
a sua liberdade e a sua vida.

Atenciosamente,

(Autor desconhecido)
Adaptado e enviado por LUCAS LIMA DE RESENDE