PAPAI NOEL


As origens de Papai Noel, quem diria, se remontam ao século IV. Naquele tempo não existia Papai Noel, mas existia um bispo na cidade de Myra (atual Demre) na Turquia, chamado Nicolau.

Ele tinha nascido por volta do ano 270 e morreu provavelmente em 325. A vida do bispo Nicolau não foi nada fácil por causa das perseguições do Imperador romano Diocleciano aos cristãos. Enterrado em Myra onde morreu, seu corpo foi levado por marinheiros italianos para Bari na Itália, no século IX. Sua devoção se estendeu pelas cidades costeiras do Mediterrâneo e depois por toda a Europa.

A devoção a São Nicolau se popularizou tanto que foram construídas milhares de igrejas em sua homenagem. A Rússia o escolheu como seu principal padroeiro. Era também o padroeiro dos jovens, dos navegantes, dos padeiros, das crianças, dos estudantes e dos encarcerados.

Como sua festa se celebrava no dia 6 de dezembro, no século XIII, começou a ser relacionada com o Natal. No norte da Europa São Nicolau se transformou num simpático velhinho de barba branca e longa capa (imitando as vestes que teria como bispo) que vinha de barco da Espanha, carregado de brinquedos para distribuir  às crianças bem comportadas.

O nome de São Nicolau, abreviado, o teria convertido em Santa Claus. Alguns autores, porém, acham que Santa Claus é a denominação holandesa de São Nicolau, “Sinterklaas”, nome levado aos Estados Unidos pelos emigrantes holandeses. Há também os que buscam uma relação de Santa Claus com o nome alemão Kris Kringle, proveniente da palavra, também alemã, “Christkindl” que significa "Menino Cristo".

Mas, foi na França que São Nicolau começou a ser chamado “Papai Noel”. “Noël” em francês significa Natal. Este nome se tornou popular fora das fronteiras anglo-saxônicas.

No natal de 1931, o desenhista americano, Haddon Sundblon, aproveitou a figura de São Nicolau, vestido de vermelho, para fazer propaganda da Coca-cola, bebida que o santo nunca provou, transformando-se, assim, no atual Papai Noel.
 

 

 


   VOLTAR