PARA O MENINO
QUE VEM

Como é bom saber, menino,

que esta noite estás chegando

a este mundo nosso

que agora vai ser o teu.

 

Perdoa, estamos sem graça;

não temos para te dar

um mundo melhor.

Não fomos capazes

de preparar um chão fraterno,

banhado pela glória de viver.

 

Não foi por falta de empenho.

São tantos, parecem poucos,

os que ainda não desanimaram

e que trabalham cantando

para que o mundo mereça

a chegada de uma criança.

 

Chegas num tempo marcado

pelo medo e a solidão,

os homens mal soletrando

a lição de ser irmão.

 

Na antemanhã que te espera

cresce a sombra da violência

e o orvalho que cai

lava as cinzas da indiferença...

 

Bem vindo sejas, Menino,

porque estamos precisados

do poder de tua infância,

do teu dom de acreditar.

 

Que a tua fronte estrelada

derrame luz e canção,

acorde nossa esperança,

nossa confiança ferida

com medo de dar a mão,

nossa ternura escondida

no fundo do coração.

 

Autor: Thiago de Melo

 

 

 


   VOLTAR