UH!!!...FELIZ ANO NOVO...UH!!!

 

"... E para terminar, que o próximo Ano Novo seja melhor do que o ano que está acabando, para você e para todos"

Foi só digitar o último "s" quando ouvi um som que parecia um "Uh Uh Uh Uh Uh!!!. de uma coruja noturna. Virei-me, mesmo sem saber de onde tinha vindo o som. Passava das 9 da noite. Estava sozinho no Colégio, enviando os últimos e-mails do ano. Silêncio total! E de repente aquele:

- "Uh Uh Uh Uh Uh!!!..."

 

Olhei em volta. O corredor estava com as luzes apagadas. Fui até a porta, mas a escuridão não permitia ver nada. Junto à porta da sala de aula mais próxima, acendi a luz do corredor. Nada! Olhei nas salas de aula entre as carteiras, entrei nos banheiros masculino e feminino. Nada! Pensando que tinha sido minha imaginação, estava voltando quando ouvi de novo:

- "Uh Uh Uh Uh Uh!!!..."

 

O mesmo som... mas vindo da minha sala!!! Parei. Pé ante pé, bem devagar, aproximei-me da porta. Num movimento brusco olhei para dentro da sala... Nada! De repente pareceu-me ouvir um estalo às minhas costas e virei-me com rapidez. Nada! Entrei na minha sala, olhando para todos os lados, detrás da porta, detrás do armário e da estante de livros, pela janela... Nada!

Sentei-me e olhei para a tela do computador, preparando-me para clicar em "enviar", quando percebi que o texto estava incompleto. Olhei com mais atenção. Só estava escrito até "E para terminar". Tinha certeza de ter escrito tudo... ou não? Talvez com o susto cliquei numa tecla errada e apaguei a última frase. Isso acontece...

Coloquei a vírgula e repeti a frase que eu achava que já tinha digitado: "que o próximo Ano Novo seja melhor..."

- "Uh Uh Uh Uh Uh!!!..."

 

O som mais forte do que antes, interrompeu a minha digitação. Preciso confessar, envergonhado, que pulei da cadeira. O "Uh Uh Uh Uh Uh!!!..."  tinha saído dos alto-falantes do meu notebook. Palavra!!! Meu coração disparou!!! Depois acalmei-me pensando: "Isso deve ser coisa do tal Bill Gates"... Preciso perguntar o que significa esse som...

 

Quando me abaixava para sentar-me e continuar escrevendo, as teclas começaram a mover-se sozinhas e as letras digitadas apareceram na tela continuando o meu e-mail. A meio sentar, fiquei olhando, abobalhado, aquela escrita misteriosa:

- "... que o próximo Ano Novo seja melhor... porque você, eu e todos os habitantes da terra prometemos lutar para não estragá-lo como fizemos com este ano que está acabando".

Parou. Ainda esperei um pouco com os olhos fixos no teclado. As teclas não se moviam. Olhei, não sei por que, para a porta, agora com o corredor iluminado pela luz que eu tinha deixado acesa. Nada!

- Acho que eu vou embora... - sussurrei baixinho. - Alguma coisa estranha está acontecendo... Talvez um vírus...

 - "Uh Uh Uh Uh Uh!!!..." - Uivou de novo o notebook, mais forte ainda.

 

Levantei-me de um salto e me afastei...

- Quem é??? - gritei, sem necessidade.

Eu já tinha chegado até a janela, quando veio a resposta:

- Não grite.

Olhei para todos os lados, corri até a porta, mesmo sabendo que o som vinha do computador. Da porta gritei de novo:

- Quem está falando?

- Não grite! - repetiu a voz. - Sou eu: o Ano Velho, o ano que está acabando!

- O quê???

- Sente-se!...

Devagar me aproximei e sentei-me. Na tela do computador não estava mais o meu correio do Hotmail. Agora, no centro da tela, aparecia a janela do Messenger. No lugar da foto superior estava escrito "Ano Velho" Na parte inferior, a minha foto. Em baixo aparecia o aviso: "Ano Velho está digitando uma mensagem"...

- Isto é brincadeira de alguém... - pensei.

Imediatamente apareceu a primeira escrita:

- Isto não é brincadeira de alguém. Isto é muito sério...

- Como é que adivinhou o que estava pensando? Deve ser coincidência... - disse em voz alta.

- Não é coincidência!!! - Foi a resposta instantânea. - Deixe de imaginar coisas. A realidade é que você está falando com o Ano Velho. Hoje é meu último dia! Dentro de poucos instantes acabo! Vamos aproveitar o tempo e não seja idiota!

Não gostei nada do "idiota", mas não tive coragem de reclamar. Estendi as mãos sobre o teclado e comecei a digitar.

- Seja lá quem for, que é que você quer?

- Já disse! Sou o Ano Velho!!!

- Tá bom, Tá bom! Que é que você quer?

- Que acabem com essa história de "Feliz ano novo" que vocês repetem idiotamente todos os fim de ano.

Outra vez "idiota", mas não liguei!

- Por que não podemos dizer isso?

- Porque um ano só é feliz se vocês todos, TODOS!!!,  forem felizes.

- Mas é isso que nós desejamos!

- É! Mas se não forem suficientemente felizes, botam a culpa no ano. "Foi um ano mau" - dizem. Mas o ano não tem nenhuma culpa!

- Bem...

- Que é que você diria de um aluno que faz uma prova ruim e bota a culpa no papel onde escreveu as respostas? "O papel foi muito ruim!"...

- Bem...

- Fui eu que corrigi seu e-mail. Já estou cansado de vocês porem a culpa em nós, anos. Não faço isso por mim, mas por você, por todos. Assumam a responsabilidade pelo ano que vai começar. São 365 dias lotados de chances contínuas para fazer um mundo melhor... pelo menos, o pequeno mundo que rodeia vocês...

- Bem...

Esperei um pouco, mas desta vez, ele me deixou continuar escrevendo:

- Obrigado!... A gente escreve sem pensar, por hábito... Mas quando refletimos, pensamos como você...

- Não basta pensar. É preciso comunicar aos outros para que o final do ano seja também um momento de reflexão: o que é que eu fiz de bom para os demais nestes 365 dias?... O que é que vou fazer no Ano Novo?...

- Tá! Agora vou mandar outros e-mails, corrigindo os anteriores, com o texto que você escreveu: "Que o próximo Ano Novo seja melhor do que o ano que está acabando, para você e para todos, porque você, eu e todos os habitantes da terra prometemos lutar para não estragá-lo como fizemos com este ano que está acabando".

- Não se preocupe em mandar outros e-mails: eu fui corrigindo todos os que você enviou...            

- O quê???

- Acaba de receber um e-mail. Verifique! Tchau!!! Preciso ir despedir-me de alguns amigos que alegraram muito a minha vida. Tchau!

- Espere!!!

- "Uh Uh Uh Uh Uh!!!..." - respondeu o meu notebook.

 

Meio atordoado, abri o Hotmail. Cliquei e li a mensagem recebida: "Gostei muito do seu e-mail. Um feliz ano novo diferente. Você tem razão. Precisamos lutar para que o Ano Novo seja melhor. Não depende do ano, depende de cada um. Obrigado..."

 

Isso parecia a prova final de que realmente eu tinha falado com o Ano Velho... Mas eu me resistia a aceitar isso.

- Que nada! - pensei - deve ser fome. Não comi nada desde o meio-dia!

- Você é um chato!!! - chiou o notebook...

 

Desliguei o computador de repente, sem seguir o roteiro recomendado. Amanhã teria problemas na hora de ligar... Fechei a sala, apaguei a luz do corredor e orientado pela claridade que vinha da área externa, levemente iluminada, cheguei à porta do galpão. Antes de fechar, gritei para o corredor:

- Chato é você!!!! -

Espero que ninguém me tenha ouvido. Do corredor veio um som que parecia de uma coruja noturna:

- "Uh Uh Uh Uh Uh!!!..."

 

Gerardo Cabada Castro
 

 

 

 

 

 


   VOLTAR