O homem valente nunca anda armado,
mas em compensação vive muito menos.

A verdadeira coragem
é ter coragem de dizer que não tem coragem.

O homem só deve ser valente dentro de casa,
até a mulher chegar.

Num duelo a faca,
leva mais vantagem quem está com revólver.

No avião,
a coragem é passageira.

Todo covarde tem seu dia de valentia,
geralmente é o último.

De cada dez valentes nove estão enterrados:
o décimo se acovardou.

Valente é o índio:
já entra no filme sabendo que vai morrer.

O noivo também é valente:
casa com uma mulher,
sabendo que vai enfrentar duas.

Já o trapezista não é tão valente quanto parece:
valente, mesmo, é o espectador
que senta em baixo do trapézio.