O moço da cidade se empolgou nas apostas da briga de galo do vilarejo, e danou de perder. Ficou observando os jogadores, e concluiu que quem mais ganhava era um mineirinho raquítico, que não tirava o cigarrinho de palha do canto da boca. Resolveu pedir ajuda para tentar recuperar um pouco do que havia perdido.

- Meu amigo, vejo que o senhor é um grande entendido em brigas de galos.

- É... - responde timidamente o caipira.

- Pois eu já perdi quase todo meu dinheiro. Não acertei uma aposta... pode me ajudar e dizer qual é o galo bom da próxima luta?

- Claro sô moço. O bom é o galo branco, responde o caipira.

 

O sujeito da cidade, rapidamente, aposta todo o resto do seu dinheiro no galo.

 

Quando acaba a luta, ao ver o galo branco derrotado e quase destroçado, ele vai ter novamente com o caipira, mal contendo a raiva:

- Você não me disse que o galo branco é que era o bom?

- Pois i num é?... o galo branco é o bom... o preto é que é o marvado!