O responsável pela arrecadação de dinheiro da campanha para a construção de posto médico numa cidadezinha do interior, tinha percorrido várias vilas da redondeza e conseguido juntar pouco mais de 5 mil reais. Feliz com o dinheiro conseguido preparou-se para levar o dinheiro à associação responsável pela construção.

 

A distância a percorrer era pequena, o dia estava bonito, vestiu suas melhores roupas e começou a viagem, montado em seu jumento.

 

Quando passava por um lugar solitário, viu um homem parado no meio do caminho. Pensou que se tratasse de algum amigo ou conhecido, mas ao chegar mais perto percebeu que era uma pessoa desconhecida.

- Quem é você? - gritou o estranho.

- Sou o responsável pela arrecadação para a campanha do posto médico - respondeu ele confiadamente. - Estou levando o dinheiro para a Associação.

- Está levando dinheiro? - voltou a perguntar o homem. - Quanto leva?

- Conseguimos reunir 5 mil reais! - exclamou sorridente.

O homem puxou um revólver.

- Pois não precisa ir à cidade. Dê-me o dinheiro!

 

O homem do dinheiro ficou muito triste. Tinha falado demais! Tirou o pacotinho com o dinheiro e o entregou ao desconhecido.

O ladrão olhou com cobiça para a sua roupa:

- Você está muito bem vestido. Vamos fazer uma troca. As suas roupas pelas minhas.

 

Assim fizeram. O ladrão vestiu a roupa nova e o homem da campanha, mesmo a contragosto vestiu a roupa mal cheirosa e suja do ladrão, que se afastou o mais rápido possível.

Não sabia o que fazer. Estava sumamente aflito. Continuaria a viagem ou voltaria? Não tinha dinheiro. Era melhor voltar. Olhou para o céu e pediu perdão a Deus pela sua burrice...

Quando montou no jumento notou um pequeno volume num bolso. Enfiou a mão e... lá estava o pacotinho do dinheiro. O ladrão, na sua pressa, esqueceu de trocar o dinheiro para a roupa nova. Procurou nos outros bolsos e encontrou mais outro pacotinho de dinheiro, provavelmente fruto de outro roubo. Contou depressa: 2.000 reais e uns trocados. Agradeceu a Deus e fez que o jumento corresse o mais possível.

 

Ao chegar à cidade comprou uma roupa nova. Depois foi entregar o dinheiro à Associação, onde lhe sugeriram que com o outro dinheiro fizesse uma doação para alguma obra e que ficasse com o resto. Ele merecia....