Em tempos remotos, certo rei, querendo educar seu herdeiro como um guerreiro corajoso e varonil, mandou levá-lo, na mais tenra idade, para um castelo isolado, onde entre outras condições, não poderia ver qualquer donzela, em contato unicamente com seus criados.

 

Certo dia, quando o príncipe já tinha alcançado a juventude, saindo de casa a passear pelo bosque, em companhia de seus criados, encontrou, primeiro, uma encantadora pastorinha e, mais adiante, uma linda camponesa.

- Ah! Que encanto aquelas figuras! - exclamou extasiado o príncipe para os criados que o acompanhavam. - Como se chamam?

 

Os criados, que não contavam com esse encontro, responderam:

- São... gansos!

 

Mas chegou um momento em que uma profunda melancolia se apoderou do jovem príncipe. Tornara-se arisco, caprichoso, insuportável.

 

Até que o rei, seu pai, avisado, se viu obrigado, um dia, a aproximar-se:

- Que é isto, meu filho? Que lhe acontece?

- Quero que me compre um ganso! - respondeu entre lágrimas.