A mãe entra no quarto de sua filha única e encontra uma carta em cima da cama. Pensando no pior (fuga da filha), a mãe, com as mãos trêmulas, começa a ler a carta, que diz o seguinte:

 

"É com muito pesar que  informo que fui embora de casa com o meu namorado, o João. Estou apaixonada, ele é lindo, com todo os piercings, tatoos e aquela moto maravilhosa. Mas, mamãe, não é só isso, estou grávida e o João disse que seremos muito felizes em seu trailler. Ele quer ter muito mais filhos comigo e é isso que sempre sonhei.

Aprendi com ele que a maconha não faz mal a ninguém, e por isso nunca faltará no nosso cantinho, assim como a cocaína e o extasy. Disse que viveremos em harmonia com todos nossos filhos e a gangue dele e enquanto isso, rezamos para que seja breve a cura da Aids, visto que ele está doente, tadinho.

Não se preocupe, mamãe, eu já sou uma mocinha, tenho 15 anos e sei me cuidar bem. Um dia eu volto para que vc conheça seus netos. Um super beijo e até qualquer dia.

 

Assinado: Sua filha querida.

 PS: Mãezinha, não se assuste. Isso é tudo mentira e eu tô na casa da vizinha. Só queria te mostrar que existem coisas piores na vida que as notas do meu boletim, que está na primeira gaveta da minha mesa."

 

 

 

(Autor desconhecido)