Por que a população brasileira, em geral,
tem uma auto-estima muito baixa?

Por que os brasileiros se sentem sempre
inferiores e ameaçados, passivos...?

TRAUMA CAUSADO
PELAS CANÇÕES DA INFÂNCIA.

Nós somos ameaçados, amedrontados
e encaramos tragédias desde o berço!

Por isso levamos tanta pancada da vida
e ficamos quietos.

 

EIS ALGUNS EXEMPLOS:

 
1.- "Boi da cara preta"... "Boi, boi, boi, boi da cara preta,

pega essa menina que tem medo de careta..."

 

- Esta música, na realidade, é uma ameaça, é algo como:

"dorme logo, droga!, senão o boi vem te chifrar"?

 

2.- "Nana neném que a cuca vai pegar..."

 

- Outra ameaça! Agora com um ser ainda mais maligno que um boi preto!

 

3.- "Atirei um pau no gato-to-to - Mas o gato-to-to - não morreu-reu-reu

Dona Chica-ca-ca admirou-se-se - Do berrô, do berrô que o gato deu: Miaaau!"


- Que crueldade! Por que atirar um pau no gato, uma criatura tão indefesa?

E ainda o sadismo dessa mulher chamada Dona Chica. Uma vergonha!


4.- "Eu sou pobre, pobre, pobre, - De marré, marré, marré.

Eu sou pobre, pobre, pobre, - De marré de si.

Eu sou rica, rica, rica, - De marré, marré, marré.

Eu sou rica, rica, rica, - De marré de si."


- Colocar a realidade tão vergonhosa da desigualdade social em versos tão doces...

É impossível não lembrar o seu amiguinho rico da infância,

com um carrinho fabuloso, de controle remoto,

e você brincando com seu carrinho de plástico...

 

5.- "Vem cá, Bitu! vem cá, Bitu! - Vem cá, meu bem, vem cá!

Não vou lá! Não vou lá, Não vou lá! - Tenho medo de apanhar".


- Quem foi o adulto sádico que criou esse verso? No mínimo ele espancava o pobre Bitú...

 

6.- "Marcha soldado, - cabeça de papel!

Quem não marchar direito, - Vai preso pro quartel".


- De novo, ameaça! Ou obedece ou você vai se ferrar...

Não é à toa que o brasileiro admite tudo de cabeça baixa...


7.- "A canoa virou, - Quem deixou ela virar,

Foi por causa da Verinha - Que não soube remar".

 

- Ao invés de incentivar o trabalho de equipe e o apoio mútuo,

as crianças brasileiras são ensinadas a dedurar

e a condenar um semelhante. Bate nela, mãe!

 

8.- "Samba-lelê tá doente, - Tá com a cabeça quebrada.

Samba-lelê precisava - É de umas boas palmadas".


- A pessoa, conhecida como Samba-lelê,

está doente e necessita de cuidados médicos urgentes.

Mas, ao invés de compaixão e apoio,

a música diz que ela precisa é de palmadas!

 

9.- "O anel que tu me deste - Era vidro e se quebrou.

O amor que tu me tinhas - Era pouco e se acabou..".

 

- Como crescer e acreditar no amor e no casamento

depois de ouvir essa passagem anos a fio?

Uma discussão clara em que um cônjuge

se mostra um perfeito interesseiro,

criticando um anel dado com tanto carinho,

mas, que ao cair, descobrira que não passava de bijuteria.

 

10.- "O cravo brigou com a rosa - Debaixo de uma sacada;

O cravo saiu ferido - E a rosa despedaçada.

O cravo ficou doente, - A rosa foi visitar;

O cravo teve um desmaio, - A rosa pôs-se a chorar".

 

- Uma desgraça!

Incita a violência conjugal.

Transforma a discussão

num quebra-quebra violento entre flores,

símbolos da paz e do amor, que se despedaçam aos tapas...

 

 

Lutemos contra essas lembranças!

Não podemos deixar estas mensagens negativas,

que nos foram impostas quando crianças, 

servirem de guias malignos para nossas vidas.

E quando ninarmos nossos filhos ou irmãozinhos,

devemos pensar no que lhes vamos dizer,

afinal, eles merecem um futuro melhor!!!