Um viajante parou ao lado de um pastor que, sentando perto do caminho, vigiava seu rebanho:

 

- Que tempo vamos ter hoje?

- O tempo de que eu gosto - informou o pastor.

- Como sabe que vai fazer o tempo de que você gosta?

 

O pastor sorriu:

- Depois de descobrir que nem sempre posso conseguir o que quero, aprendi a sempre gostar do que consigo. Por isso tenho certeza de que teremos o tempo de que eu gosto.

 

***   ***   ***

 

A felicidade e a infelicidade estão no modo como recebemos os acontecimentos, não na natureza dos acontecimentos em si.

 

(Anthony de Mello - “O enigma do iluminado-II”)