Um vendedor ambulante percorria os vilarejos do interior, oferecendo remédio contra coice de burro. Instalou-se numa pracinha, junto à Igreja, e começou a gritar com aquela habilidade própria dos charlatões:

 - Alô, pessoal! Ouvi contar que aqui há muito burro xucro. É só a gente passar perto e já vem o coice. Mas tenho aqui um remédio infalível. Querem experimentar?

 

Os curiosos se juntavam. Então ele mostrava um pacotinho bem fechado, dizendo:

 - Cada pacotinho desses contém o remédio. Cura quem levou o coice e previne contra coices futuros. O pacotinho custa apenas ... E dava o preço de um, de dois, de três pacotes, sempre com o desconto de praxe.

 

Muitos roceiros compraram o tal remédio. Chegando às suas casas, abriram curiosamente o embrulho e encontraram dentro três metros de barbante e o conselho por escrito:

 

"Para evitar coice de burro, basta ficar longe do animal numa distância correspondente ao comprimento deste barbante."

 

Desapontados e enganados, foram atrás do vendedor para lhe aplicar uma boa surra. Mas o vendedor já tinha sumido da praça.

(Clóvis Bovo)