Um dia, quando caminhava pela rua, uma mulher de muito sucesso, diretora de uma importante rede de lojas, morreu ao ser atropelada por um caminhão. Sua alma chegou ao Paraíso e na entrada encontrou-se com São Pedro:

- Bem-vinda! - lhe disse o santo.

- Obrigada! Posso entrar?

- Ainda não. Você passará um dia no inferno e outro no paraíso, e depois poderá escolher onde passará toda a eternidade.

- Realmente, eu já decidi. Prefiro o Paraíso.

- Sinto, mas temos nossas regras.

 

São Pedro, acompanhou-a até o elevador e foram descendo, descendo, até o inferno. As portas abriram-se e surgiu na sua frente uma paisagem maravilhosa com lagos, palacetes, piscinas, etc. Lá estavam todos seus amigos - colegas diretivos que tinham trabalhado com ela - todos vestidos de terno e muito satisfeitos. Correram a recebê-la e a cumprimentaram beijando-a, recordando, depois, aqueles bons tempos passados. Passearam juntos, nadaram, navegaram e foram jantar caviar e lagosta. Juntou-se a eles o próprio Diabo, um sujeito super simpático. Ela estava feliz contando piadas e dançando. Estava tão feliz que, sem perceber, chegou o momento de ir embora. Todos a despediram carinhosamente antes de entrar no elevador.

 

São Pedro a estava esperando.

- Agora é o momento de experimentar o Paraíso - explicou o santo.

 

A mulher passou, então, 24 horas de uma nuvem para outra, tocando harpa e cantando. Divertiu-se muito e antes de cair na conta o dia já tinha passado. São Pedro foi buscá-la.

- Então? Passou um dia no Inferno e outro dia no Paraíso. Agora deve escolher seu lugar para toda a eternidade.

A importante senhora refletiu um momento e depois respondeu:

- Bem, nunca pensei que faria esta escolha. Quero dizer: o Paraíso é lindo, mas creio que o passei melhor no Inferno.

 

São Pedro, então, a acompanhou até o elevador e outra vez foi descendo,  descendo até o Inferno. Quando as portas se abriram encontrou-se no meio de uma terra deserta coberta de excrementos, resíduos apodrecidos e esgoto. Lá estavam seus amigos vestidos de farrapos, recolhendo aquela imundice em sacos pretos.

O Diabo aproximou-se.

- Não entendo - balbuciou a mulher. - Ontem estive aqui e existia um campo de golfe e um clube e comemos lagosta e caviar e dançamos e nos divertimos muito. Agora o que há é uma terra deserta, cheia de imundice e todos meus amigos parecem uns miseráveis.

O Diabo olhou para ela e sorriu:

- Ontem estávamos tentando contratá-la. Hoje você já faz parte do pessoal!

 

(Autor desconhecido)