Uma jovem mãe, submetida a um tratamento contra câncer, voltou do hospital sem cabelos, por causa da radioterapia, e muito consciente da sua aparência.

Estava sentada na cozinha, quando seu filho apareceu na porta, olhando-a curiosamente.

Quando a mãe iniciou o discurso que ensaiara para ajudá-lo a entender o que via, o menino se aproximou e aconchegou-se em seu colo, quietinho, a cabeça recostada em seu peito.

A mãe acariciou a cabecinha do filho e disse:

- Você vai ver como daqui a pouco o meu cabelo vai crescer e eu vou ficar melhor, como era antes.

O menininho se levantou, olhou para a mãe, pensativo. Com a espontaneidade de seus seis anos, respondeu:

- Seu cabelo está diferente, mas seu coração está igualzinho.

A mãe não precisava mais esperar por "daqui a pouco" parar melhorar. Com os olhos cheios de lágrimas, ela se deu conta de que já estava muito melhor.


(Rochelle M. Pennington em "Histórias para aquecer o coração das mães")