Um homem, depois de ter vencido na vida, dirigindo grandes e importantes negócios, e gozando de muitas regalias, caiu numa grande depressão, sem ânimo e sem interesse por nenhuma coisa, nem sequer pelas que antigamente o enchiam de entusiasmo. Sentia-se só, esquecido, desprezado, e sua família, muito preocupada, o levou aos consultórios dos melhores médicos e psicólogos, que nada conseguiram.

 

Um dia, um amigo lhe sugeriu que fosse conversar com o abade de um famoso mosteiro nas montanhas. Ele aceitou, sem muita esperança, pensando mais na visão das belas paisagens que rodeavam a antiga construção. O amigo se ofereceu para acompanhá-lo.

 

Quando chegaram ao mosteiro, o amigo ficou esperando na portaria, enquanto ele foi introduzido numa espaçosa sala onde o abade estava conversando com outra pessoa. Mas  ao vê-lo, levantou-se imediatamente e, sorridente, desejou-lhe boas-vindas, oferecendo-lhe uma cadeira para sentar-se e descansar da longa caminhada.

 

Não demorou em ser atendido, e a conversa entre ele e o abade, se prolongou durante muito tempo. Ao se despedirem, a transformação operada no homem era visível. Em companhia do amigo iniciaram a descida e o amigo, ao vê-lo tão mudado e entusiasmado, perguntou-lhe:

 - O que foi que lhe disse o abade que fez transformar desta maneira sua vida?

 

Ele respondeu:

- Não foi o que me disse. Foi apenas um gesto.

- Um gesto? Que gesto?

- O gesto alegre e amável com que me recebeu e me ofereceu uma cadeira para me sentar.

(Autor desconhecido)