Um pai do interior mandou o filho para o colégio na cidade, e, no fim do ano, o rapaz voltou para casa, anunciando alegre que tinha sido o segundo de sua turma.

 

O pai exclamou:

 - Segundo?! Por que năo foi o primeiro? Para que pensa que o mandei para a cidade?

 

Cheio de brios, o rapaz voltou ao colégio no ano seguinte, mergulhou no estudo e voltou, no fim do curso, com as notas mais altas da turma.

 

O pai olhou-o em silęncio durante alguns minutos, depois encolheu os ombros e resmungou:

 - Primeiro, hein? Esse colégio deve ser uma boa porcaria!

 

(Autor desconhecido)