Era uma vez uma mulher idosa muito má, que morreu. A mulher tinha feito, na sua vida, uma só boa ação. Chegaram, então, os demônios e a atiraram ao lago de fogo. Mas o anjo da guarda, que estava lá, pensou: "Que boa ação da mulher poderia lembrar para dizer a Deus?" Então recordou uma coisa e contou-a a Deus:

- Uma vez arrancou uma cebola na sua horta e deu-a a um pobre.

 

E Deus respondeu, complacente:

- Pegue você mesmo essa cebola e atire-a ao lago de maneira que possa agarrar-se a ela. Se você conseguir tirá-la do lago, irá para o Paraíso, mas se a cebola se romper, então terá de ficar onde está.

 

O anjo correu até onde estava a mulher e estendeu-lhe a cebola:

- Tome, mulher, segure firme, vejamos se posso tirar você daí!

 

E começou a puxar com cuidado. Quando já quase a tinha tirado completamente, os outros pecadores que estavam no lago de fogo, perceberam e começaram a prender-se a ela para poder sair também dali. Mas a mulher era má e os chutava gritando:

- Está puxando é a mim e não a vocês; é minha a cebola e não de vocês!

 

Mas logo que pronunciou estas palavras, a cebola rebentou. E a mulher voltou a cair no lago e lá arde até o dia de hoje.

O anjo começou a chorar e foi embora.

 

(F. D. Dostoieski)