No pasto de uma fazenda, perto da estrada, há dois cavalos. De longe, parecem cavalos normais, como os outros cavalos, mas, quando se olha com mais atenção, percebe-se que um deles é cego. O estranho é que o dono da fazenda não se tenha desfeito dele. Pelo contrário, o que ele fez foi arrumar-lhe um amigo: um cavalo mais jovem.  

De repente, percebe-se que há por perto um sininho tocando. Escutando e observando com atenção, descobre-se que o som vem de um pequeno sino pendurado no pescoço do cavalo mais jovem.  

O dono da fazenda satisfaz a nossa curiosidade.

Ouvindo o sino, o cavalo cego sabe onde está seu companheiro e vai até ele... Ambos passam os dias no pasto e, no final de cada dia, o cavalo cego segue o companheiro até o estábulo...  O cavalo com o sino, vira com freqüência a cabeça para ver se o cavalo cego o acompanha, e, às vezes, pára esperando que o outro o alcance.  

O cavalo cego guia-se pelo som do sino, confiante em que o outro o está levando pelo caminho certo.  

***   ***   ***

 

Assim agem os bons amigos! Algumas vezes somos o cavalo cego guiado pelo som do sino daqueles que Deus colocou em nossas vidas. Outras vezes, somos o cavalo que guia, ajudando outros a encontrar seu caminho.

 

(Autor desconhecido)