Um dia, Pedro estava voltando para casa, vindo da escola, quando percebeu que o aluno andando na frente dele tinha tropeçado e deixado cair todos os livros que ele estava carregando, uma bola de futebol e um pequeno radinho. Pedro ajoelhou-se, ajudou-o a pegar os seus objetos que estavam esparramados pelo chão.

 

Já que eles estavam indo na mesma direção, Pedro ajudou a carregar um pouco os objetos. Enquanto eles caminhavam, Pedro descobriu que o nome dele era Toinho, que ele adorava videogame, futebol e internet; que estava no 9o ano e que tinha muita dificuldade com quase todas as matérias, e que tinha acabado de brigar com sua namorada.

 

Eles chegaram à casa de Toinho e Pedro foi convidado a entrar para tomar um suco e assistir um pouco de televisão. A tarde passou agradavelmente com algumas risadas e um papinho de vez em quando, até que Pedro decidiu ir para casa.

 

Eles continuaram a se encontrar na escola, almoçavam juntos de vez em quando, até que ambos terminaram o primeiro grau. Continuaram amigos até o tão esperado terceiro ano do ensino médio. Três semanas antes da formatura, Toinho disse a Pedro que desejava bater um papo com ele. Toinho lembrou a Pedro o dia, anos atrás, em que eles se conheceram e perguntou-lhe:

 

- Você nunca pensou por que eu estava carregando tantas coisas para a minha casa naquele dia? Eu estava limpando o meu armário na escola porque eu não queria deixá-lo uma bagunça para a próxima pessoa que o fosse usar. Naquele dia, eu estava desesperado e estava com a intenção de fazer uma besteira. Mas, depois de termos passado aquele dia juntos, conversando e rindo, eu percebi que se eu tivesse feito o que tinha pensado, eu teria perdido aquele momento e tantos outros que estariam por vir. Então, você está vendo, Pedro, que quando você me ajudou a pegar aqueles livros do chão aquele dia, você fez muito mais do que somente me ajudar. Você salvou a minha vida....

 

*** *** ***

Cada pequeno "oi", cada pequeno sorriso, cada pequena ajuda

é capaz de salvar um coração machucado.

 

(Autor desconhecido)