Eu pensava que as conhecia:

a macieira e a pereira,

até que um dia descobri o milagre.

Elas estavam com os pés no mesmo chão,

erguiam a cabeça no mesmo ar,

para o mesmo sol e na mesma chuva.

 E a macieira fabricava maçãs e a pereira peras.

 

"Tudo normal", comentam os homens.

Mas eu não queria acreditar nos meus olhos:

daquilo que elas tiravam do mesmo chão,

do mesmo ar, sob o mesmo sol e a mesma chuva,

 

uma árvore fazia peras e a outra,

apenas uns dez metros adiante, maçãs.

E essas frutas eram em tudo diferentes:

na forma, cor, aroma, sabor.

 

Em tal milagre, eu nunca tinha reparado.

 (Phil Bosmans em "Eu gosto de você", Ed. Vozes)