Flavinho era um robusto e decidido garoto de três anos. Fez amizade com um bode da vizinhança.

 

Todo dia, ele arrancava um pouco de grama e de alface e levava para o bode. Eram tão amigos que Joãozinho passava horas em companhia do bode.

 

Um dia, Flavinho achou que uma mudança no cardápio faria muito bem ao animal. Assim, foi visitar o amigo levando cebolinha em vez de alface. O bode mordiscou um pedacinho, não gostou e o empurrou. Flavinho agarrou o bode pelos chifres e tentou forçá-lo a comer a cebolinha. Desta vez o bode deu uma chifrada no Flavinho, a princípio com jeito, mas depois, como Joãozinho insistisse, atingiu-o com força, o que fez o menino tropeçar e cair de costas.

 

Flavinho ficou tão ofendido que se sacudiu todo, olhou para o bode com raiva e foi embora para não voltar. Alguns dias mais tarde, quando seu pai perguntou-lhe por que não ia mais conversar com o bode, Flavinho respondeu:

- Porque ele me repeliu.

 

 

(Antony de Mello - "O segredo do iluminado")