No Japão, durante o século XVII, num período de muita fome, um campesino que não tinha com que alimentar sua família, lembrou-se de que existia uma grande recompensa para quem desafiasse e vencesse o grande mestre de uma escola que ensinava o manejo do sabre.

 

Ainda que ele nunca, na sua vida, tinha tocado numa arma, decidiu desafiar o grande mestre, considerado o mais famoso lutador de sabre da região. 

 

No dia marcado, diante de numeroso público, os dois homens se puseram frente a frente. O campesino, sem mostrar-se impressionado com o prestígio de seu adversário, mantém-se tão firme e seguro de si mesmo que o grande mestre fica um pouco perturbado com a sua determinação. "Que será este homem?" - se perguntava. - "Nunca nenhum plebeu me desafiou para uma luta!... Será uma armadilha de meus inimigos?"...

 

O campesino, empurrado pela fome, lança-se com todo ímpeto contra o rival. O mestre duvida, desconcertado pela ausência total de técnica de seu adversário. Finalmente, sem saber como reagir, retrocede devagar tentando se defender de qualquer jeito do ataque aloucado do campesino. Mas antes mesmo de finalizar o primeiro assalto, o grande mestre sente que será vencido. Abaixa o sabre e reconhece:

 

- Você é o vencedor!... Pela primeira vez na minha vida fui derrotado. Minha escola é a escola mais célebre entre as escolas de sabre. Posso perguntar-lhe, respeitosamente, o nome de sua escola?

- A escola da fome! - responde o campesino.

 

(História budista)