Era uma vez um garoto, que quando ia para a escola, ficava o tempo todo com a mão fechada. Quando ia escrever, quando corria, quando tomava lanche... não abria a mão para nada. 

 

Seus colegas comentavam entre si, a professora estava intrigada com aquilo. Não se conseguia saber o porquê deste menino estar sempre com a mão fechada.

 

Um dia a professora chamou o menino em particular. Ele era um bom menino, esportista, fazia bem suas tarefas, tinha boas notas, respeitava muito seus colegas. 

 

A professora o elogiou muito pelas suas virtudes, e depois antes de encerrar a conversa, perguntou: 

- Porque você sempre anda com a mão fechada, faz tudo com a mão fechada?

 

O garoto abaixou um pouco a cabeça como que meio envergonhado e tranqüilamente foi falando. 

- Toda vez que saio de casa para vir para a escola, a minha mãe, me da um beijo na palma de minha mão, depois fecha a minha mão e diz que é para eu guardar o beijo dela até voltar para casa.  Assim, eu cuido para não perder o beijo e o carinho da minha mãe.

(Autor desconhecido)