A assistente social estava fazendo uma pesquisa de campo numa favela. Entrou num pobre barraco onde se demorou conversando com a dona. À sua volta brincavam os meninos mais novos de uma numerosa prole.

- Tenho nove filhos - explicava ela, sem tirar a vista da garotada.

Então, a assistente lembrou-se de fazer-lhe uma pergunta em que muitas vezes tinha pensado:

- Qual o filho que a senhora mais ama?

- Amo mais - respondeu rapidamente a mulher - o que está doente até que ele fica bom, e o que está ausente até que ele volta.

(Autor desconhecido)