Um jovem estava furioso porque tinha sido insultado.

 Peguei um papel e amassei-o, enquanto lhe dizia:

- Imagine que este papel é lixo.

 

Sem ele esperar, atirei-o na sua direção. Pensando que era lixo de verdade, ele desviou-se e não o apanhou.

 

- Viu? Com os insultos é a mesma coisa. Não é necessário apanhá-los!

 

(Autor desconhecido)