Durante a Idade Média, no ano de 1141, na Alemanha, Wolf, o Duque da Bavária estava cercado em seu castelo pelos exércitos de Frederick, Duque da Suábia, e de seu irmão Konrad.

 

O cerco já durava muito tempo, e Wolf sabia que a rendição era inevitável. Mensageiros iam e vinham, levando propostas de acordo, condições e decisões.

Derrotados, Wolf e seus aliados estavam dispostos a entregar o castelo ao seu pior inimigo. Mas as mulheres desses homens não estavam nem um pouco preparadas para a derrota.

 

Enviaram uma mensagem a Konrad, irmão do duque inimigo, pedindo a promessa de salvo-conduto para todas as mulheres do castelo e de suas proximidades, e permissão para que elas levassem todos os bens que pudessem carregar.

A permissão foi concedida e os portões do castelo se abriram.

 

As mulheres foram saindo, levando consigo estranha carga. Não traziam ouro ou jóias. Cada uma vinha curvada sob o peso do marido, na esperança de salvá-lo da vingança dos inimigos vitoriosos.

 

Dizem que Konrad, bom e piedoso de fato, comoveu-se até às lágrimas, diante daquela atitude extraordinária. Apressou-se em garantir a liberdade às mulheres e a segurança aos maridos.

 

Convidou a todos para um grande banquete e fez um acordo de paz com o duque da Bavária em termos mais favoráveis que o esperado.

 

Desde então o monte onde estava situado o castelo passou a ser chamado de “Lealdade Feminina”.

 
(Autor desconhecido)