Uma bela princesa, herdeira de um próspero reino, ainda solteira, era cortejada por muitos jovens da nobreza e pelos mais ricos da sociedade, que lhe ofereciam ricos e belos presentes. Entre os pretendentes encontrava-se um jovem plebeu que não tinha outra riqueza ou nobreza que seu amor por ela. Quando teve a oportunidade de falar com a princesa, ele lhe disse:

- Princesa, eu sempre a amei. Como sou um homem pobre e não tenho tesouros para lhe dar, ofereço-lhe como prova de amor, passar cem dias, sentado sob a sua janela, sem mais alimento que a chuva e sem mais roupa que a que tenho vestida. Este é o meu presente.

A princesa, comovida por este gesto de amor, decidiu aceitar:

- Esta é a sua chance. Se vencer esta prova, eu me casarei com você.

 

Passaram as horas, os dias... O jovem, sempre sentado, suportando o vento, a chuva, o frio, de olhar fixo na janela da princesa, sem desfalecer um só momento. Às vezes a cortina da janela se abria um pouco e deixava perceber a figura da princesa que, com um nobre gesto e um sorriso de complacência, aprovava a constância de seu pretendente.

 

Tudo corria tão bem, que os mais otimistas já começaram a planejar os festejos da boda real. Ao chegar o dia 99, os habitantes da capital do reino se reuniram em volta do futuro rei. Tudo era alegria e festa, até que, de repente, quando faltava apenas uma hora para cumprir-se o prazo previsto, diante do olhar atônito de todos os presentes e do espanto da princesa, o jovem levantou-se e sem dar nenhuma explicação, lentamente, afastou-se do lugar...

 

Semanas mais tarde, enquanto passeava por um solitário caminho, outro jovem da região aproximou-se dele e perguntou-lhe:

- Que aconteceu? Você estava perto de conseguir o que mais desejava. Por que perdeu essa chance? Por que se afastou quando faltava tão pouco?

Profundamente abatido e triste, e com lágrimas dissimuladas nos olhos, respondeu em voz baixa:

- Ela não me tirou nem um só dia de sofrimento, nem sequer uma hora... Não merecia meu amor...

(Lenda oriental)