Diante dos atentos discípulos, o mestre colocou dois jarros idênticos sobre a mesa e disse:

- Deus não olha para as coisas como olham os homens. O homem olha para a aparência externa, mas os olhares de Deus vão ao coração.

Fez uma ligeira pausa e continuou:

- Estes jarros vieram da mesma fábrica, foram feitos com os mesmos materiais e podem conter a mesma quantidade. Mas são diferentes.

 

Então ele virou um dos jarros e dele escorreu mel.

Virou o outro jarro e dele escorreu vinagre.

 

E explicou:

- Quando um jarro é virado, seu conteúdo, ao escorrer para fora, fica à vista de todos. Antes de serem virados, os jarros pareciam iguais. A diferença era o que tinham dentro e que não podia ser visto. Quando foram virados, seus conteúdos foram revelados.

 

Após uma breve pausa, concluiu:

- Enquanto nós não somos virados, temos uma boa face. Mas quando somos virados, revelamos nossos íntimos pensamentos e atitudes.

***   ***   ***

 Se alguém o virasse hoje, o que escorreria para fora?

Você revelaria o "mel" da generosidade e da paciência,

ou o "vinagre" da raiva e sarcasmo?

 

(Parábola oriental)