O rapaz estava ajudando um velho a construir um muro na encosta de um morro.

 Já tinham cavado uma vala larga e funda para colocar as grandes pedras do alicerce que deviam sustentar o muro.

O velho era muito exigente na escolha de cada pedra e dos pedaços com que encher os vãos entre as pedras.

 A idéia de encher as brechas abaixo da linha do solo irritava o rapaz.

- Quem vai saber que esses espaços estão cheios? - perguntou o rapaz.

O espanto do velho foi genuíno quando, a olhar o rapaz por cima dos óculos, disse:

- Ora essa!... Eu saberei... e você também!
 

(Hayda Pearson)