Certa vez, representantes do governo americano informaram aos índios que havia criando bolsas de estudo para que uma meia dúzia de seus jovens pudessem ir estudar numa escola de brancos.

 

O porta-voz dos índios respondeu:

 

- "Sabemos que vocês admiram muito o ensino dessas escolas.

E agradecemos muito a sua boa vontade para com nosso povo.

 

Mas vocês, que são sábios, devem saber

que diferentes nações têm diferentes conceitos sobre as coisas.

Assim não nos levarão a mal, se lhes dissermos que nossas ideias,

a respeito deste tipo de educação, não combinam com as suas.

Muitos de nossos jovens já foram educados em escolas desse tipo.

 

Foram instruídos em suas ciências,

mas quando voltaram ao nosso seio,

tinham perdido a capacidade de correr,

não sabiam como sobreviver nas florestas,

eram incapazes de suportar o frio e a fome,

não sabiam como construir uma cabana,

caçar um veado ou atacar o inimigo.

Falavam mal a nossa própria língua

e não se qualificavam como caçadores, nem como guerreiros

nem como conselheiros.

Em suma, não serviam absolutamente para nada.

 

Agradecemos sua generosa oferta,

embora seja nosso dever rejeitá-la,

mas, para demonstrar nossa boa vontade,

se os senhores nos quiserem enviar meia dúzia de seus filhos,

cuidaremos muito bem deles lhes ensinaremos tudo que sabemos,

e os transformaremos em homens".

(Autor desconhecido)