Um famoso equilibrista tinha esticado um cabo de aço entre dois profundos precipícios. Estava preparando-se para fazer uma exibição, e a multidão, situada lá embaixo, esperava ansiosa.

- Acreditam que posso caminhar pelo cabo de aço? - perguntou o equilibrista.

- Sim!!! - respondeu a multidão.
 

O homem caminhou sobre o precipício e chegou ao outro lado no meio dos aplausos e gritos da multidão.

 - Acreditam que posso voltar ao outro lado empurrando um carrinho de mão? - perguntou outra vez o equilibrista.

- Sim!!! - respondeu a multidão.

 

O homem caminhou sobre o precipício empurrando o carrinho de mão e chegou ao outro lado. A multidão aplaudia e gritava entusiasmada.

 - Acham que posso levar uma pessoa no carrinho? - perguntou.

- Sim!!! - respondeu novamente a multidão.

Então o equilibrista disse:

- Quem é o voluntário para o carrinho de mão?

 

Houve um grande silêncio. Todos se olharam medrosos. Todos acreditavam no equilibrista, enquanto não estivesse em perigo a própria segurança pessoal. Na realidade não acreditavam, não confiavam nele.

 

Então, no meio da multidão, surgiu uma criança que rapidamente subiu até onde estava o equilibrista e entrou no carrinho de mão. Os dois chegaram em segurança ao outro lado, andando sobre o cabo de aço.

 

Era o filho do equilibrista, que confiava com todo o seu coração em seu pai!

(Autor desconhecido)