A filha perguntou ao pai:

- Papai, por que as coisas se tornam desarrumadas com tanta facilidade?

- O que está querendo dizer com "desarrumadas", querida? - perguntou ele.

- Sabe como é, papai. Quando as coisas não são perfeitas. Olhe para a minha escrivaninha agora. Está cheia de coisas. Desarrumada. E ontem à noite me esforcei ao máximo para deixar tudo perfeito. Mas as coisas não permanecem perfeitas. Tornam-se desarrumadas com a maior facilidade!

 

O pai pediu à filha:

- Mostre-me como é quando as coisas ficam perfeitas.

 

Ela arrumou cada coisa nas posições determinadas, e depois disse:

- Aí está, papai, agora ficou perfeito. Mas não continuará assim.

- E se eu deslocar esta caixa de tinta para cá? O que acontece?

- Ora, papai, agora ficou desarrumado. Além do mais, teria de estar reta, e não torta, como você deixou.

- E se eu mudasse este lápis para o outro lado?

- Está desarrumado outra vez.

- E se deixasse este livro aberto?

- Também fica desarrumado!

 

O pai então explicou à filha:

- Querida, não é que as coisas fiquem desarrumadas com mais facilidade. Acontece apenas que você tem muitas maneiras para desarrumar as coisas, e só tem uma para deixar tudo perfeito.

(Autor desconhecido)