No século passado, celebrou-se uma boda importante, numa bela fazenda. Os convidados e os noivos, como era o costume naquela época, foram conduzidos em carruagens puxadas por cavalos. Primeiro celebrou-se a cerimônia religiosa e depois o banquete: música, champanhe, alegria... como em todos os casamentos.

 

Debaixo dos salões onde se celebrava o banquete estavam situados os estábulos. Um dos cavalos aproximou-se de seu companheiro e perguntou-lhe:

- Está ouvindo?

- O quê? - respondeu o outro, voltando-se para ele.

- A festa!

- Ah! Claro! - Pegou outro bocado de feno, e continuou com a boca cheia - Que feno bom devem ter lá em cima, hoje!

 

Somos  demasiado materialistas

para entender, nesta vida,

as sublimes realidades

da outra vida, do céu.

 

(De "Carta do céu" por Francisco Cáceres)