A BALANÇA


 

 

Seu Miguel mora na cidade e tem um armazém. Seu Justino mora no interior e fabrica uma farinha de mandioca muito apreciada. Um dia, os dois combinaram trocar seus produtos: um quilo de sal por um quilo de farinha.

Tudo correu bem até que um dia o comerciante começou a desconfiar. Colocou a farinha na balança, e de fato, a balança aferida pelo fiscal fazia poucos dias, marcava apenas 800 gramas. Foi ao delegado e deu parte.

No dia seguinte, o roceiro foi intimado a comparecer na delegacia para explicar o caso. Um tanto embaraçado, falou:

- Doutor Delegado, eu nunca tive intenção de enganar ninguém. Deus sabe! Nosso trato era trocar um quilo de farinha por um quilo de sal. Eu não tenho balança
e arrumei um jeito de pesar a minha farinha
usando o quilo de sal como contrapeso...

(Clóvis Bovo)