O homem foi visitar um sábio conselheiro e lhe disse que já não amava sua esposa e que pensava em separar-se.

 

O conselheiro escutou-o, olhou diretamente nos seus olhos e disse apenas uma palavra:

- Ame-a!

- Mas é que já não sinto nada por ela!

- Ame-a! - insistiu ele.

 

O homem ficou desconcertado, em silêncio, sem saber o que dizer ou o que fazer. O conselheiro, então, acrescentou:

 

- Amar é uma decisão, não um sentimento;

amar é dedicação e doação.

Amar é um verbo

e o fruto de essa ação é o amor.

O amor é um exercício de jardinaria:

arranque as ervas daninhas, prepare o terreno,

semeie, seja paciente, regue e cuide.

Esteja preparado porque haverá pragas,

secas e excesso de chuva,

mas não abandone seu jardim.

Ame sua esposa, aceite-a, valorize-a respeite-a,

dê-lhe sua afeição e ternura,

admire-a e compreenda-a.

Isso é tudo. Ame-a!

 

(De www.motivaciones.org - Begoña Gurza)