Um intelectual foi encontrar um mestre religioso, e ambos passaram a noite inteira conversando sobre religião.

 

Assim que os primeiros raios de sol surgiram, o intelectual observou:

- Ah, que noite abençoada! Ficamos aqui sentados, discutindo coisas tão importantes. Muito melhor que passar uma noite, sozinho, com meus livros.

 

E o mestre comentou:

- Pois achei uma noite horrível. Foi uma perda total de tempo.

- Mas por quê? - perguntou o intelectual, surpreso.

- Durante todo o tempo, você tentou dizer algo que me agradasse e eu tentei dar-lhe respostas que o deixassem contente. E, em vez de encararmos nossas diferenças e compreendermos que só assim podemos evoluir, tentamos o tempo todo agradar um ao outro.

 

(Autor desconhecido)