Na antiga china os príncipes se casavam com meninas entre 12 e 13 anos. As jovens esposas eram praticamente crianças e seus ovários ainda não estavam amadurecidos para gerar filhos. 

Para acelerar este amadurecimento, os que praticavam acupuntura introduziam uma agulha de ouro no pavilhão da orelha destas pequenas princesas. Este adereço na orelha despertou a vaidade das demais mulheres, que passaram a imitá-las, e o brinco virou moda. 

Com o passar do tempo, o uso de brincos foi se popularizando e hoje é usado de forma indiscriminada e nas mais variadas regiões do corpo. No entanto, esses objetos podem provocar distúrbios orgânicos dos mais variados. Às vezes, a pessoa coloca um ou vários brincos e passa a sentir sintomas que antes não sentia, sem se dar conta de que isso é resultado do uso, em região inadequada, desse objeto perfurante, que pode causar efeitos colaterais. 

Quando decidir colocar brincos, piercing, etc, é importante pensar a respeito dessas questões para saber se vale a pena ficar doente para estar na moda.

(Enviado por e-mail por R.T.)